quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Óleos vegetais - indicações

Óleos vegetais - indicações

Óleo de Semente de Abóbora virgem "Curcubita peppo"

O óleo é extraído das sementes da abóbora por prensagem a frio. Pesquisas científicas têm provado que o óleo de sementes de abóbora possui positivos efeitos no tratamento de problemas da vesícula (congestão e cálculos) e próstata (hiperplasia). Também possui um efeito redutor do colesterol e é efetivo na prevenção de problemas cardíacos e circulatórios. O óleo de semente de abóbora também é uma boa opção para saladas, comparado ao azeite de oliva para este uso. O óleo possui vitamina A, B1, B2, C, E, Niacina, Ácido fólico,sais minerais como ferro, cobre, manganês, cálcio, zinco e selênio (que é muito importante para o sistema imunológico), ácido linoléico, etc. Atualmente têm sido considerado um dos melhores produtos naturais para o tratamento e prevenção de problemas da próstata, dando suporte também à virilidade masculina e feminina, e no tratamento de queda de cabelo. O óleo de semente de abóbora, usado tanto interna, quanto externamente, auxilia no combate ao DHT, que é o hormônio que penetra nos receptores dos folículos pilosos, iniciando um processo de miniaturização, enfraquecimento e perda dos cabelos.

Óleo de amêndoas doce "Prunus amygdalus var. dulce"



O óleo de amêndoas de melhor qualidade é o extraído por prensa a frio sem o uso de solventes. Normalmente é difícil se conseguir o óleo prensado a frio, pois a maioria dos óleos atualmente disponíveis são extraídos por processos químicos. O óleo de amêndoas prensado a frio é reconhecido por ser levemente espesso e de gosto muito forte.
A importância do óleo de amêndoas ser extraído por processo natural e a frio é que a extração química danifica os ácidos graxos naturais do óleo e significantemente reduz o quantidade de vitamina presente nele.
Costuma ser indicado para peles secas. Pessoas de pele mais sensível podem apresentar uma certa alergia ao uso muito prologando.
Atualmente temos conseguido em pequena quantidade, mas suficiente para atender nossa demanda, óleo de amêndoas doces virgem, proveniente da Índia - um dos óleos de amêndoas de melhor qualidade obtido pela primeira prensagem a frio das amêndoas. Infelizmente, a maioria do óleo que se encontra no mercado é, na verdade, óleo de origem mineral (derivado de petróleo), pois, o óleo de amêndoas doce puro e natural é caro - um litro não custa menos de R$ 150,00.



Óleo de abricot "Prunus armeniaca"

O óleo de melhor qualidade é prensado a frio e filtrado sem o uso de solventes das sementes. Um óleo altamente nutritivo que possui a mesma consistência do óleo de amêndoas e a coloração amarelo pálido. É rico em vitaminas A e C, além de sais minerais. Freqüentemente empregado como regenerador da pele, principalmente do rosto e comumente adicionado à mistura de óleo de massagem. Normalmente não é empregado puro na massagem devido ao seu aroma forte.

Óleo de abacate não-refinado "Persea americana"

Também prensado a frio e filtrado sem o uso de solventes. O óleo é derivado da polpa do fruto e não do caroço, pois o óleo presente no caroço é tóxico. O óleo contém uma alta proporção de ceras e é rico em proteínas, vitaminas (A, B e D) e sais minerais. O óleo turva-se naturalmente em dias de baixa temperatura e solidifica-se quando resfriado. A indústria cosmética considera esta característica natural do óleo não atrativa à venda e tende a refinar o óleo, o que leva à remoção das propriedades que distinguem o óleo de abacate dos outros óleos vegetais como as vitaminas, proteínas e sais minerais. O óleo refinado não turva-se a baixas temperaturas é inodoro e sem cor, enquanto o natural não-refinado retém a cor verde escuro, freqüentemente possui resíduos e possui um odor forte de nozes.
O óleo de abacate é bom para todos os tipos de pele, mas especialmente para as secas, assim como peles sensíveis. O natural não-refinado normalmente é empregado na diluição de 10 a 50 % por ser um óleo mais caro.
Já temos disponível óleo de abacate da melhor qualidade (puro e não-refinado) aqui no Brasil.

Óleo de Coco (Babaçú, palmiste, coco da Bahia, macaúba, etc...)

Os óleos de coco são ricos em ácido láurico, componente este, comprovado cientificamente por vastos estudos, que possui efeitos anticancerígenos (combate câncer), por estimular o sistema imunológico.

São excelentes para serem usados tanto internamente - passados em pães, na culinária (sendo, inclusive, o mais indicado para se aquecer, pois suporta altas temperaturas sem se tornar trans) - ou para uso em massagens, pois possui alto poder de penetração, são óleos extremamente finos.

Maiores informações são encontradas em nosso site, no artigo sobre o coco.



Óleo de gergelim não-refinado "Sesamum indicum"

O gergelim é originário das regiões tropicais da África, e têm sido cultivado a mais de 6.000 anos atrás pelo homem. Relatos sobre o potencial terapêutico do óleo de gergelim foram encontrados em antigos pergaminhos egípcios.
O óleo obtido por prensagem a frio das sementes e contém vitaminas A, B e E. É empregado na hidratação e proteção da pele dos raios solares, e dentro da medicina ayurvédica e chinesa para aumento da energia vital, tratamento de fadiga, aumento da tonicidade e firmeza mucular, regulagem das funções intestinais, além de melhorar a circulação. É considerado um excelente remédio para problemas do cérebro, como má memória e esquecimento, pois age aumentando e fortalecendo os glóbulos vermelhos do sangue o que melhora a oxigenação do cérebro, além de que possui um alto teor em vitamina E, considerada um agente rejuvenecedor e retardante do envelhecimento. Também contém aminoácidos que melhoram a transmissão dos impulsos nervosos, que estão diretamente relacionados à memória. A presença de cálcio no óleo é altamente efetiva para acalmar os nervos, conter a ansiedade e sintomas mentais de stress.
A vitamina E têm sido chamada de vitamina da juventude. Se ela é obtida continuamente na alimentação diária, pode diminuir o encanecimento capilar, tornar a pele mais macia, e é claro, as células do cérebro ficam mais alertas. Outro óleo com alto teor em vitamina E é o óleo de germe de trigo, veja logo abaixo, porém, um dos óleos que possui o maior teor de vitamina E é o de abacate.
O óleo de gergelim pode ser ingerido ou empregado na massagem e para que tenha todas suas propriedades inalteradas não pode sofrer processo de refino.

Óleo de germe de trigo não-refinado "Triticum vulgare"

Prensado a frio e filtrado sem o uso de solventes. O óleo é extraído do germe das sementes de trigo. O óleo não-refinado possui a coloração avermelhada e um forte odor. Possui propriedades anti-oxidantes e pode prolongar a vida útil de misturas de óleos para massagem, evitando que fiquem rançosos. O óleo contém vitaminas (A, B1, B2, B3, B6, D e F) além de ser altamente rico em lecitina. Aproximadamente 12 kg de germe de trigo são necessários para se produzir um litro de óleo. A quantidade mínima de vitamina E presente no óleo é: 2.5 I.U/G. Normalmente é empregado em diluição a outro óleo na proporção de 10%. Útil na cura de queimaduras e tecidos em processo de cicatrização, assim como áreas inflamadas e peles ásperas.

Infelizmente, como ocorre com os óleos de abacate, sementes de uvas, abricot e amêndoas doce, os que se encontram no mercado, em sua maioria, são óleos mineral (derivado de petróleo), com óleo vegetal refinado - geralmente soja ou girassol e uma pequena percentagem - 2, 3% do óleo vegetal puro (quando tem) e essência.

Óleo de Jojoba não-refinado "Simmondsia sinensis"

Este óleo possui uma longa história de uso pelos índios norte-americanos. Ele é derivado da castanha da jojoba e é prensado a frio sem o uso de solventes. A planta é forte e cresce a uma altitude de pouco mais de 3 metros. Suas raízes são adaptadas a crescer em regiões desérticas, alcançando um comprimento de aproximadamente 4 metros.
O óleo é um líquido gorduroso com ponto de fusão de 7°C a 9°C. Sob baixas temperaturas ele pode se solidificar homogeneamente se não foi refinado ou misturado com outro óleo vegetal como óleo de girassol ou soja para ficar mais barato. Possui uma coloração clara e é rico em vitamina E, proteínas e sais minerais quando não-refinado. Ele é indicado para todos os tipos de peles, incluindo a oleosa, mista, acnéica e peles inflamadas, devido à bem da palavra, não ser exatamente um óleo, mas uma cera. Não fica rançoso com o tempo, por isso é um bom veículo para óleos essenciais e usado na fabricação de perfumes, além de não deixar que os óleos carreadores em geral fiquem rançosos com grande rapidez se adicionado a eles. Também não se deteriora com facilidade possuindo um longo tempo de vida.

Óleo de linhaça "Linum urtisatissimum"

As sementes do linho rendem cerca de 34% de óleo que é caracterizado pelo seu alto teor de ácido alfa-linolênico (ômega 3), cerca de 50-52%. Contém também 15% de ácido linoleico, 19% de ácido oléico, 7% de esteárico e 6% de ácido palmítico. A maior parte de suas propriedades se dão devido ao seu alto teor de ácido linolênico.

Ele é utilizado como suplementar na dieta para tratamento de distúrbios hormonais, da pele, alérgicos e outros, que possam advir de dietas pobres em ácidos graxos essenciais.

É um dos óleos mais secativos que existem usado por isso em tintas e vernizes. Rança com extrema rapidez. Quando exposto ao ar espessa-se gradualmente e escurece (normalmente é amarelado e tem odor e gosto bem característicos). Ao rançar chega a formar uma verdadeira cola, por isso seu uso na allimentação tem de vir acompanhado de anti-oxidantes, ou usar-se a extra-virgem. É um óleo útil no tratamento de acnes e espinhas.O óleo de linhaça é rico, como se disse, em Ômega 3 e fitoestrógeno.

O Ômega 3 promove uma ação protetora para o coração e vasos sangüíneos. Estudos demonstram que o óleo de linhaça reduz o colesterol total e o mau colesterol, conferindo uma proteção cardiovascular - é indicada contra arterioesclerose, trombose coronária, arritmia cardíaca. Contém uma substância chamada TAGLANDINA, que regula a pressão sanguínea e a função arterial e exerce importante função no metabolismo do cálcio e energia.

O óleo de linhaça possui substâncias parecidas como os estrogênios (hormônios femininos) somente que de ação mais atenuada, melhorando a absorção de cálcio, prevenindo, por exemplo, a osteoporose. Paradoxalmente, estes fitoestrógenos parecem ter, também uma ação antiestrogênica, fato este que deve conferir uma ação contra os tumores dependentes do estrogênio, prevenindo sobretudo o câncer de mama e útero, através de uma ação nutracêutica direta nos receptores dos órgãos alvos. Age ainda como antiinflamatório ao lupus-eritematoso e como antialérgico.

O óleo de linhaça, como já referido, exerce ação protetora sobre o sistema cardiovascular pela ação do Ômega 3 e, também, pelo fitoestrógeno que faz parte da sua composição, melhorando a elasticidade das artérias, e desta forma a irrigação sangüínea (útil em casos de varizes, troboses, etc...). O óleo de linhaça possui ademais ação antioxidante contra os radicais livres, que quando em excesso, provocam doenças crônico degenerativas e envelhecimento precoce.

Vários estudos científicos corroboram a ação do Ômega 3 em distúrbios da memória, casos de depressão, irritabilidade, síndrome do pânico, distúrbio bipolar, esquizofrenia, crianças hiperativas, problemas de memória, cogniçAo, dentre outros.

Pesquisas do Instituto Científico para Estudo da linhaça (Canadá e EUA), tem enfocado atenção sobre as ações desta semente na prevenção e cura de doenças degenerativas, como a artrose e artrites.

Segundo os estudos, a linhaça possui 27 componentes químicos que tem ação anticancerígena, sendo uma das principais a LIGNINA.

É ainda, um excelente óleo no tratamento de cabelos e peles ressecadas e envelhecidas - é ideal para ser utilizada nos tratamentos de eczemas e psoríase.

O consumo regular do óleo ou das sementes de linhaça moídas favorece o controle dos níveis de açúcar no sangue - auxilia no controle da diabetes, fungos, etc...




Óleo de Neen "Azadirachta indica"

Neem é uma erva de multiplos usos que têm sido utilizada terapeuticamente por mais de 4.000 anos. É uma frondosa árvore tropical conhecida na Índia como "farmácia da aldeia" , devido às suas propriedades antivirais, antibacterianas, antifúngicas e anti-parasíticas. O seu óleo é obtido pela prensagem a frio das sementes.
É muito utilizado como inseticida natural contra nematóides, sendo não tóxico para humanos, animais, além de não afetar insetos benéficos.
As propriedades antibióticas do óleo de neem são úteis em problemas como acne, unha encravada, machucados e condições sérias da pele. Dentro da cosmética, o óleo de neem atua restaurando a maciez e elasticidade natural da pele, enquanto age como um desinfetante da mesma. Neem também pode ser adicionado ao shampoo, óleo pós-banho e cremes hidratantes. Excelentes propriedades antifúngicas são relatadas especialmente contra pé-de-atleta, micoses em geral, bicho-de-pé, cândida e outros fungos que atuam causando alergias, queda de cabelo e descamação da pele. Destrói Staphylococcus aureus e Salmonella typhosa.

Atua também contra a diabetes.

Óleo de Perila "Perilla frutescens"

O óleo é obtido por prensagem a frio das sementes da perila, uma conhecida erva-daninha encontrada desde o sudeste ao sudeste dos Estados unidos (EUA). Na Ásia, perila é cultivada comercialmente e muitos de seus produtos são encontrados em mercados koreanos e em todo o mundo. Obtém-se o óleo de sua sementes por prensagem a frio. É um dos raros óleos vegetais contendo ômega 3. Possui propriedades anti-inflamatórias, auxilia no tratamento de colesterol alto, arteriosclerose, problemas do fígado, combate o infarto cardíaco, estimula o sistema imunológico, diminui a incidência de tumores na mama, no cólon e rins, etc.


Óleo de Prímula ou Evening primrose "Oenothera biennis"

Prensado a frio e filtrado sem o uso de solventes. O óleo é derivado das sementes da prímula. É muito popular e extensivamente comercializado e famoso devido ao seu conteúdo de AGL (ácido g-linolênico). O conteúdo máximo de AGL no óleo de prímula fica em torno de 9-12%. O preço deste produto depende do seu conteúdo de AGL que pode ser até de 0%, podendo com isso custar até metade do preço de um óleo com teor de 9%. É muito fácil se adulterar o óleo pela adição de óleo de soja ou girassol. Portanto é preciso ter atenção na aquisição deste tipo de óleo para que ele seja útil para aquilo que normalmente é indicado. Através de uma análise química é possível saber-se o teor de AGL do óleo.

Devido ao AGL, lembra muito o óleo de rosa mosqueta que possui mais 40% de AAL (ácido alfa linolênico), quando de boa qualidade e não adulterado. É empregado normalmente misturado a um outro óleo carreador na proporção de 10%. É bom para todos os tipos de pele, e no equilíbrio da maioria dos problemas menstruais. Especialmente indicado para peles secas, eczema, psoríase e no combate a rugas.

Já é possível encontrarmos este óleo aqui no Brasil, através do email: organicosbrasil@yahoo.com.br

Óleo de romã (Sementes) "Punica granatum"

O óleo é obtido por prensagem das sementes da romã. É um óleo que possui propriedades antibióticas, anti-inflamatórias, tônicas dos nervos e do sistema muscular.


ÓLEOS INFUSOS


Óleo de calêndula "Calendula officinalis"

É preparado normalmente pela infusão das flores de calêndula em óleo de soja e filtrado sem o uso de solventes. 1kg de flores produz aproximadamente 7kg de óleo infuso. Particularmente é um óleo excelente para problemas de pele, possui propriedades anti-inflamatórias, e costuma ser adicionado ao óleo carreador na proporção de 25%. Importante aqui não confundir com o óleo essencial absoluto de calendula que também existe e que custa centenas de vezes mais caro que o óleo infuso.

Óleo de cenoura "Daucus carota"

Existem duas qualidades de óleo de cenoura, um feito com as flores infusas e outro com a raiz seca macerada. Ambos são ricos em beta-caroteno e vitamina. O primeiro, é produzido pela infusão de flores de cenoura em óleo de soja a 90 °C. O produto é estabilizado com o uso de vitamina C e E contra a oxidação. Deve ser mantido em baixas temperaturas, protegido da luz e guardado por no máximo seis meses. O segundo é feito pelo mesmo método, só que ao invés da flores, se usa a raiz seca em maceração. Este acaba tendo maior durabilidade. Não confundir com o óleo essencial de semente de cenoura produzido da mesma planta.

Óleo de semente de uva "Vitis vinifera"

É possível se conseguir o óleo por pressão a frio, mas isso é raramente feito devido ao alto custo (quase uma tonelada de sementes de uva para se produzir de 250ml a 1 litro de óleo). Este tipo de óleo possui um tom de cor que vai do oliva a um verde bem escuro e possui um odor acre. Normalmente o que pode se encontrar disponível no exterior é produzido por pressão a quente, mas o de melhor qualidade é o extraído a frio. O óleo de semente de uva normalmente comercializado é extraído por solvente (processo de infusão em óleo de soja) , refinado e desodorizado. É indicado no tratamento de obesidade, celulite e estrias, pois auxilia na elasticidade dos tecidos, reduz o inchaço e o edema, restaura o colágeno e melhora a circulação periférica. Atua como excelente antioxidante.
Ainda o óleo de semente de uva no Brasil é possível encontrar sementes de uva infusas em óleo mineral ou vegetal ou produtos totalmente adulterados, conforme dito anteriormente.

Conseguimos obter este óleo puro, diretamente do produtor - único aqui no Brasil!



Onde encontrar - para aquisição de qualquer um destes óleos:

Bio Orgânicos Brasil:

+55 (12) 82035180

bioorganicosbrasil@yahoo.com.br
Maiores informações, consultorias, assessoria a empresas, cursos e palestras:
Alessandro Luiz Freire
Contatos: (12) 82035180
E-mail: aleharmonica8@yahoo.com.br

Atendimentos online! - à distância para todo o Brasil e exterior - inclusive em inglês e espanhol

Marcadores: , , ,

1 Comentários:

Às 7 de setembro de 2013 10:48 , Blogger Hernandes Machado disse...

Onde posso encontrar um óleo puro e natural extraído a frio e que contenha um alto índice de vitamina B-17?

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial